6 de outubro de 2012

PICASSO - A IMPORTÂNCIA DO ARTISTA

A Passadora / 1904

- Tais Luso de Carvalho

Picasso é talvez o mais importante artista plástico do século 20. Produziu um vasto número de pinturas, desenhos, gravuras e esculturas, e a maioria de museus de arte moderna do mundo exibem seus trabalhos.

Os historiadores de arte da atualidade colocam seu nome ao lado de figuras como os italianos Giotto e Michelangelo porque, como a deles, a obra de Picasso representa uma mudança radical no curso da arte do ocidente.

Costuma-se dizer que ele libertou os pintores da tirania da arte representativa, ou seja, que ele tornou possível para aqueles que vieram depois, desenvolver a arte não-representativa ou abstrata, e Picasso ajudou a consolidá-la.

A vasta obra de Picasso abrange muitos estilos. Ele desenvolveu o cubismo juntamente com Braque, inventou a colagem, ajudou a desenvolver também o surrealismo e, claro, a arte abstrata.

Aos poucos sua pintura foi se modificando, se deformando. Obcecado por novas formas, mergulhou na arte africana, descobriu máscaras polinésias e chegou à arte das cavernas. Nascia a revolução cubista que iria subverter toda a pintura até então solidificada. Picasso foi líder absoluto do cubismo. Seus trabalhos decompõem a realidade em elementos distintos, como por exemplo, que uma cabeça pudesse ser vista em diferentes ângulos ao mesmo  tempo, em superfícies  tridimensionais. O invisível se tornava visível.

Criou uma nova organização dos espaços e das estruturas. Ele geometrizou as formas naturais. Seus  volumes coloridos expressam suas emoções. Fragmentou o universo visual mas nunca esqueceu o ser humano. Por vezes tomado de compulsão erótica, pintava cenas de sexo que chacoalhavam os salões de artes. Depois de ter tentado recriar o mundo com suas experiências estéticas, Picasso criou uma ética: a defesa da liberdade em todos os setores.

Os primeiros comentários sobre o trabalho de Picasso apareceram na imprensa parisiense em 1900, quando suas pinturas foram exibidas na galeria de Vollard. O crítico Felicien Fugus, cobriu-lhe de elogios na publicação La Revue Blanche – e Picasso, com 19 anos já, começava a ganhar o mundo.

Picasso criou um estilo próprio, mas sempre aberto à novas idéias e influências. Sua obra era variada demais para ser rotulada por um único estilo. O furor causado em 1907 por As Senhoritas de Avinhão trouxe reprovações não apenas da crítica especializada mas também de seus amigos mais próximos.

No entanto, Picasso tinha absoluta convicção do que estava fazendo. Mais tarde os críticos reconheceram que o quadro foi revolucionário e influenciou o curso da arte do século 20.

No final da vida Picasso considerava a si mesmo parte de uma tradição muito antiga de pintores como Velázquez e Manet, e não das novas gerações, cuja obra nunca poderia ser comparada à de Picasso, o mestre.

Ao longo de toda a história da arte, os artistas sempre lutaram para viver de suas obras, e muitas vezes dependendo de recursos privados para financiar seu trabalho. O gênio extraordinário de Picasso foi instantaneamente reconhecido, propiciando ganhos que, com o correr do tempo, somaram uma considerável fortuna.

Picasso nasceu e 25 de outubro, em Málaga / Espanha e morreu em 8 de abril de 1973, aos 92 anos.


 OBRAS MONOCROMÁTICAS

La Repasseuse (engomadeira) 1904

Busto de Fêmia / 1922

Face e perfil / 1931

O Beijo / 1969

O Rapto das Sabinas / 1962

Esboço de Guernica / 1937


O Museu Guggenheim, em Nova York, reuniu obras monocromáticas que abrangem toda a carreira do gênio espanhol Pablo Picasso. Em preto e branco apresenta 118 obras reunidas numa exposição que começou em 4 de outubro de 2012 até 23 de janeiro de 2013.

São obras reunidas de 1904 a 1971. Empréstimos significativos provenientes de coleções públicas e privadas de toda a Europa e dos Estados Unidos, cinco dos quais nunca antes exibidos ou publicados.

Obras como A passadora, uma pintura a óleo de 1904 até O beijo, todo em cinza e negro, pintado décadas depois. Entre as obras reunidas está um esboço para o que talvez seja a obra mais famosa do mestre espanhol: Guernica.




--
fontes : 
Picasso - Quebrando as Regras - David Spencer-Cia Melhoramentos, SP
Grandes pintores / Paulo R. Derengoski